Olá pessoal, gostaria de fazer um breve relato da minha história como educador.
Meu nome é Mário Augusto, moro em Alvorada e sou professor da Rede Estadual e do município de Alvorada.
Antes de ser professor, já me interessava por história e depois de um tempo pensava em fazer a faculdade de
História. Quando estava cursando o 2º grau comecei a me interessar por música, então eu e uns colegas resol-
vemos fazer uma banda de rock. Ninguém sabia tocar nenhum instrumento, resolvemos quem tocaria o que na banda
e cada um foi dedicar-se ao seu instrumento. Depois de algum tempo já encomodávamos os vizinhos, mas não era nada muito sério. Passados seis meses resolvi me dedicar de verdade e passei a estudar violão clássico. Estudei durante um ano e naquele ano eu rodei. Era o último ano do 2º grau. No ano seguinte conclui o 2º grau e estava decidido a fazer magistério, pois pensava em dar aulas em um turno e no restante do dia continuar me dedicando à música. Hoje em dia utilizo muito de música em minhas aulas. Bem foi assim que me tornei professor.
Estou chegando um pouco atrasado para participar desta discussão, mas aqui estou.
Nessa minha primeira participação gostaria de falar o quanto para mim, hoje, é difícil responder a esta
questão, pois exige muita reflexão. Acredito que a resposta tem a ver com o tipo de escola em que
cada um de nós trabalha. Digo isso, porque cada escola deve, ou deveria, atender as demandas da
comunidade em que ela está inserida. A identificação dessas demandas passa pela construção, em conjunto com todos os segmentos da Comunidade Escolar, do PPP. Então, cabe ao professor, de posse e conhecimento do PPP da escola, programar suas atividades de modo a contemplar tais demandas. Bem, decorre que, nesse sentido, ser professor requer flexibilidade, ou seja, ser flexível. Por que não há nada que obrigue um professor a concordar com o PPP da escola que trabalha,mesmo que ele tenha participado, junto ao seu segmento, da elaboração do mesmo. Suas opiniões sobre educação podem ter sido voto vencido em uma disputa de idéias. Mas isso não lhe dá o direito de não trabalhar de acordo com o PPP, elaborado legitimamente pela Comunidade Escolar.
Bem, essa é uma primeira reflexão. Espero intervensões.