Meu nome é flores-borletas-burburlhando.gifMaria Gabriela Ferreira Sargenti, tenho 30 anos (fiz aniversário semana passada), e trabalho como professora há sete. Trabalho na EEEF Tom Jobim, na cidade de Porto Alegre. Minha escola é bastante diferenciada, pois atenda a alunos em cumprimento de medidas sócio-educativas, na FASE.
Como minha escola só atende adolescentes, trabalhamos com a modalidade de EJA, e muito tentamos embasar nossos pensamentos e ações nos ideais de Paulo Freira, apesar de acreditar que em muitas ocasiões, falhamos e mantemos uma postura totalmente tradicional, desvinculada da realidade de nosso aluno e descompromissada com a real mudança social pretendida pela escola.


Finalmente hoje, dia 17/12/06, consegui retomar e escrever mais um pouquinho de minha história. Temos vivenciado um processo complicado em minha escola, a SE decidiu que nossa maneira de trabalhar (por totalidades) não está adequada à nova lei que foi homologada, portante, teremos que refazer toda a estrutura de nossa escola. Está tudo uma bagunça, e tive que "abandonar" um pouco meu curso, entretanto comprei o livro do Paulo Freire e tenho, na medida do possível, lido um bocado. É impressionante como a educação no Brasil pouco se modificou ao longo de quase meio século... É chocante lermos e refletirmos acerca do que Freire escreve e perceber que pouco fizemos enquanto educadores para modificarmos o panormama educacional da atualidade...
Continuo minha caminhada e minha reflexão, espero poder escrever mais profundamente sobre o tema na próxima semana.