Imag0016.jpgMinhas alunas lindas!!!!!!
Sou a Professora Rita de Cássia Castiglia Freiberger, tenho 38 anos, me formei no curso de magistério em 1985, a 21 anos, lembro-me bem do meu 1º dia de aula, como estagiária. A escola era próxima a minha casa, fui caminhando cheia de planos e sonhos... Assim que entrei na sala, com um baita friozinho na barriga, começou a loucura. Me vi a frente de uma 3 série com mais ou menos 30 alunos apreensivos, agitados, esperando muito de mim, que ainda era praticamente uma menina, com apenas 16 anos, sendo que na turma tinham alunos de até 14 anos , revoltados e que não tinham vontade de estudar, riam e debochaveam de mim fazendo piadinhas. Fui ficando apavorada. O que eu faria com a metodologia e as didáticas aprendidas no curso magistério, nesta hora?
A primeira coisa que compreendi é que precisaria de muita força de vontade e conquistar a amizade e o respeito daqueles alunos. Na escola , tive muito apoio do grupo de professores e pricipalmente da minha supervisora de estágio que também era a diretora da escola. Naquele tempo já íamos com o planejamento todo pronto e com materiais lindos, na maioria das vezes confeccionados pela própria professora ao invés de serem confeccionados pelos próprios alunos ( que erro que cometíamos, sem saber que estávamos errando).
Consegui passar por esta primeira etapa, tendo muito o que aprender ainda, com o tempo e as experiências da vida.
Fiz concursos pela prefeitura de minha cidade (Gravataí) e comecei a trabalhar com turmas , 2 turnos, manhã e tarde, o que foi um grande desafio, depois comecei a trabalhar com alfabetização e logo em seguida apareceriam métodos novos, como por exemplo o da "abelhinha", etc. uma loucura, tudo se testava . Quando apareceu o "construtivismo" foi um Deus nos acuda! Como mudar? Como aplicar as novas idéias? Com o tempo fui participando de vários cursos oferecidos na área de alfabetização e consegui me situar melhor em como trabalhar a aprendizagem dos alunos.Fiz parte de muitos grupos de estudos e debati muito sobre minhas práticas. Ainda tenho muitos caminhos a trilhar, como me tornar uma pedagoga através deste curso de PEAD da UFRGS. O caminho é longo, mas de uma coisa sei: Não posso desistir. Vou buscar novos conhecimentos, novos parceiros, novas formas de ensinar...
Estou trabalhando atualmente na Escola Mun. de Ens. Fund. Bom Jesus, que fica na própria comunidade onde moro e por isso conheço o contexto de vida de cada um dos meus alunos, falamos a mesma língua e isso ajuda muito para que eu consiga chegar até eles. Tomara poder continuar a trabalhar com a alfabetização,onde mais me identifico, quero ajudar a construir um ensino de qualidade em meu bairro e ver funcionando uma escola cada vez melhor, apesar das dificuldades encontradas. A vida nos oferece muitas possibilidades interessantes se conhecemos nossos direitos e lutamos por eles.
CURISIDADE DE MINHA CARREIRA PROFISSIONAL:
Se já trabalho a 15 anos com alfabetização, 2 turmas por ano, tive 30 turmas, alfabetizei uma mádia de 20 alunos por turma, então já ensinei a ler e a escrever a um total +/- de 600 crianças.
Isto é simplesmente MARAVILHOSO !!!!!!!!!
E se Deus quiser e me der forças, vou ainda alfabetizar mais crianças, e cada vez melhor!