Oi meu nome é Juçara Becker, moro em São Leopoldo, sou aluno do curso de Pedagogia a distância da UFRGS. Neste ano sou professora de duas turmas de quarta série.
Minha vida profissional tem sido variada. Fui recepcionista, auxiliar de escritório, secretária, secretária de redação, digitadora. Sempre “ganhando a vida”, mas nunca estava satisfeita, sentia vontade de fazer algo importante “na vida”.
Até que em 97, comecei a trabalhar com crianças em situação de risco social. Desde então muita coisa aconteceu.
A nível médio cursei Técnico em publicidade e havia iniciado a faculdade de jornalismo. Quando comecei o trabalho com as crianças busquei formação na área do magistério e continuei estudando, participando de cursos, seminários, etc.
Pra mim, ser professora é importantíssimo, tenho consciência do que represento para meus alunos e alunas. Sei o quanto eles me observam.
Assim como nós, enquanto alunas observamos e nos espelhamos em nossas professoras e professor do PEAD/UFRGS.
O valor que uma criança dá para o certo no caderno, o elogio, o sorriso, a compreensão, o abraço, enfim tudo aquilo que vem da professora e é bom, acredito ser maior do que possamos imaginar.
A função da professora é valorizada sempre, independente de quem sejam os alunos. Meu filho cita, diariamente, as façanhas dos professores do cursinho, elogia, imita, aprende.
Ser professora é passar 20 anos e sentir saudades, é admiração, é troca, é aprender e ensinar.
Como educadora tenho tido o privilégio de atuar em diferentes realidades, como: alfabetização de adultos, com meninos e meninas em situação de rua e com crianças de terceiras e quartas séries.
Realidades diferentes geram experiência e formação, mas como diz Freire: * essas experiências não podem ser simplesmente transplantadas. Podem e devem ser explanadas, discutidas e criticamente compreendidas por aqueles e aquelas que exercem sua prática em outro contexto, no qual somente serão válidas na medida em que forem reinventadas (...) É tão errado o fechamento a experiências realizadas em outros contextos quanto a abertura ingênua a elas, de que resulte a sua importação pura e simples.

Juçara Becker